Dicas de carreira

7 Lições de empreendedorismo Péter Murányi

Data de publicação 17/10/2016

Empreender é se aventurar em novos caminhos e ter a coragem de apostar em um sonho, mesmo quando ninguém acredita na sua ideia. Quando chegou ao Brasil, em 1939, fugindo dos horrores da segunda guerra mundial, o jovem Péter Murányi lançou mão de seu espírito empreendedor para sobreviver à nova realidade.

 

Murányi desembarcou no porto de Santos, no litoral de São Paulo, somente com a roupa do corpo e sem saber pronunciar uma única palavra em português. Os oficiais da imigração deram ao recém-chegado de Budapeste, na Hungria, um visto de turista que permitia uma permanência máxima de 180 dias no País. Mesmo assim, Péter Murányi não hesitou em subir a serra do mar e se aventurar pela capital paulista.

Na cidade, Péter foi aos poucos se familiarizando com idioma, até que em 1940 criou a Péter Murányi Empresa Industrial e Comercial e começou a atuar no segmento de embalagens. Além do instinto empreendedor, a formação acadêmica de Murányi, que tinha um diploma da Escola Superior de Comércio, Economia Nacional e Internacional de Budapeste, também abriu caminhos para a criação de seu próprio negócio.

Para saber o que esse empresário de sucesso, que faleceu em 1998, diria aos jovens empreendedores do século XXI, a Universia Brasil entrevistou os filhos de Péter Murányi, Vera e Péter Júnior, que atualmente tocam as atividades empresariais da família e também a Fundação Péter Murányi, idealizada pelo húngaro com o objetivo de reconhecer trabalhos voltados para a melhoria da vida da população.

A seguir, confira os conselhos de empreendedorismo:

Informação é essencial

Péter Murányi Júnior lembra que seu pai costumava dizer que a inteligência era um dom de todos, mas alguns não se davam bem na carreira ou nos negócios pois não sabiam aproveitá-la muito bem. Para ele, o segredo está em reter o máximo de informação possível, o que foi simplificado com a chegada da era da tecnologia. “Se você retém mais informações, você tem mais capacidade de tomar a decisão correta. Então, se informe sobre tudo que vai acontecer no seu negócio, se prepare para isso. Com informação, você provavelmente encontrará a melhor solução”, explica o engenheiro e empresário.

Errar é sinônimo de aprender

A caçula da família, Vera Murányi, que atualmente preside a fundação idealizada por seu pai, diz que Péter costumava olhar para os seus erros de forma positiva e encará-los como parte importante da construção dos negócios. “Quando ele errava, convertia seu erro em aprendizado para evitar algo pior no futuro. Portanto, o conselho que ele daria é transformar os erros em uma escola”, conta Vera.

Péter Júnior lembra que cometeu um erro em uma venda da empresa e que o pai nunca o deixou esquecer. “Eu vendi tambores de sorvete para uma marca do sul do País. Eles eram clientes há 20 anos, então eu não tirei referências atualizadas, não vi se eram bons pagadores, o que era uma regra antes de fechar o pedido e colocar em produção. Quando entregamos, eles não pagaram a duplicata e, ao ligar para a empresa, descobrimos que haviam falido”, relata o filho mais velho. 

Após anos de insistência do pai sobre a falha nos negócios, Péter Júnior perguntou o motivo de ele não ter esquecido aquela venda malsucedida e nunca ter o deixado superar seu erro. “Você não errou de novo porque eu não parei de te amolar”, foi a resposta do empresário.

Paixão pelo que faz

“Ele também achava que a pessoa precisa acreditar e gostar do que faz, pois quando você faz gostando, você não está fazendo um sacrifício”, comenta Vera. Segundo a filha, o pai acreditava que a paixão garantia a qualidade do trabalho e o sucesso nos negócios.

Ter medo também é importante

Sobre medo, Péter Murányi ensinou aos filhos que ele é o breque do carro, e que para guiar de forma segura é preciso ter o acelerador e o freio, fazendo uma analogia com o empreendedorismo. “Quando você tem medo de uma coisa, é um alerta dizendo que precisa prestar mais atenção. Se você não tem medo, a chance de fazer uma bobagem é muito grande”, diz Péter Júnior.

Atue de forma segura

“Meu pai dizia que nada é tão bom quanto parece, mas nada é tão ruim quanto parece também”, conta o filho. Segundo ele, o empresário queria dizer que é preciso controlar a euforia diante de uma situação nova e trabalhar com uma margem de segurança, pois no início nada dá cem por cento certo, mas também não dá cem por cento errado.

Dê o seu melhor sempre

“Ele falava também que esperava de nós o nosso melhor. Uma vez, uma coisa saiu errada na empresa e eu disse ‘fiz o meu máximo, mas não deu certo’, e ele respondeu, ‘fazer o seu máximo é o mínimo que eu espero de você’. Ou seja, pode ser que não dê certo, mas fazer máximo é o mínimo. Se você não se dedicou ao máximo, então você errou”, diz Péter Júnior.

Valorize a equipe

Os filhos contam que Murányi tinha um grande cuidado com os funcionários. “Eles eram a equipe dele. Hoje, nós temos funcionários com mais de 45 anos de casa. Nosso contador entrou como office boy. Nosso diretor financeiro também. Então ele sempre investiu nos funcionários, principalmente em formação, oportunidade e chances para crescer profissionalmente”, lembra Vera.

Fonte:http://bit.ly/2emHi13

 

Siga-nos

Pesquisas

O que mais te influência na hora de se candidatar a uma vaga de trabalho?